May 27, 2018 Última Atualização em: 2:52 PM, May 23, 2018

Artigo Juremir Machado: Velhas práticas

Publicado em Notícias de 2017
Lido 228 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Tudo parece se repetir com a melancolia de um velho relógio. O Congresso Nacional é o lugar onde o improvável se torna absolutamente necessário. Tudo se decide de acordo com os interesses mais imediatos. Em meu livro “Raízes do conservadorismo brasileiro: a abolição na imprensa e no imaginário social” resumi o mapa da correlação de forças da época: “O Nordeste foi a região que mais apoiou a abolição na medida em que se tornou menos dependente da mão de obra cativa. O Sudeste, a que mais lutou contra. Entre 1879 e 1881, dos 11 deputados que mais defendiam reformas contra o escravismo, dez eram do Norte e do Nordeste. Apenas um era de Minas Gerais”.

As províncias escravistas produtoras de café resistiam. As outras vendiam seus escravos em condições de trabalhar para o Sudeste e tornavam-se abolicionistas.

Esse quadro foi percebido por José do Patrocínio, que sintetizou: “O Norte, muito mais benévolo para o escravo, desfez-se da hedionda mercadoria quanto pôde (…) O sul, ambicioso, obstinado, aristocrático, bárbaro e cruel para o escravo, embriagado pelo jogo do café, foi comprando a fatal mercadoria a todo custo”. Foi aí que se criou um fundo para a emancipação. O resultado foi o superfaturamento: “Conseguia-se arbitrar preços exorbitantes para velhos escravos e, com os ganhos, comprar escravos jovens”. O Brasil parece nunca envelhecer.

Este trecho nos faz entrar na máquina do tempo e permanecer em 2017: “O deputado baiano Jerônymo Sodré, em 1879, chamou a Lei Rio Branco, que permitia manter escravizados até 21 anos de idade os nascidos livres, de ‘vergonhosa e mutilada’. Foi ele que, em 1879, relançou o debate no parlamento sobre a abolição. Essas afirmações condoreiras não assustavam os proprietários de escravos, mas calavam na opinião pública. As boas medidas, contudo, esbarravam em obstáculos sórdidos e triviais. O fundo de emancipação seria desviado para campanhas eleitorais.

Que tempos aqueles! Nunca se veria igual”.

O escravismo tinha a sua tropa de choque tão agressiva quanto as de agora: “O deputado paulista Martim Francisco Ribeiro de Andrade reagiria violentamente ao avanço da libertação da sua mão de obra compulsória. Se fosse preciso, berrou, que o país se dividisse. O sul deveria se manter escravista pelo bem dos negócios e da nação”. Eis: “Nós, os representantes das províncias do sul do Império, apreciamos a integridade deste vasto país, mas não tanto que, para conservá-la, queiramos tolerar a liquidação geral das fortunas e a destruição violenta da propriedade escrava…” O país não podia quebrar. As palavras mais usadas para defender a continuidade do escravismo eram responsabilidade, seriedade, compromisso com o país e bom senso.

Fonte: Jornal Correio do Povo de 20/07/2017

Última modificação em Quinta, 20 Julho 2017 18:32
Karine Moraes

Fundada em 24/01/1984, é uma associação de direito privado, representativa e orientadora, com fins não econômicos e congrega entidades representativas de aposentados, pensionistas e idosos, quaisquer que sejam as suas origens profissionais, tendo como foro, sede e administração a cidade de Porto Alegre – RS, com jurisdição em todo o território do Estado do Rio Grande do Sul...

Mais nesta categoria: Notícias da Semana »

Deixe um comentário

Os campos com (*) são de preenchimento obrigatório.

Leia Também

Agências do INSS fecham em Porto Alegre

Agências do INSS fecham em Porto Al…

23 Mai 2018 Notícias de 2018

Pedidos de aposentadoria somente pelo telefone ou internet

Pedidos de aposentadoria somente pe…

17 Mai 2018 Notícias de 2018

INSS deverá reconhecer tempo de trabalho exercido na infância

INSS deverá reconhecer tempo de tra…

10 Mai 2018 Notícias de 2018

Em maio, INSS paga R$ 32,7 milhões a gaúchos

Em maio, INSS paga R$ 32,7 milhões …

04 Mai 2018 Notícias de 2018

Projeto de desaposentação em pauta de reunião com senadores em Brasília

Projeto de desaposentação em pauta …

25 Abr 2018 Notícias de 2018

Leia Também Notícias Filiados